Desempenho agronômico de cultivares de batata-doce de elevada qualidade fitossanitária em diferentes condições edafoclimáticas

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

A batata-doce é uma hortaliça com múltiplos usos, podendo ser utilizada na alimentação humana (fresca ou processada), na alimentação animal ou na produção de biocombustível. A importância social da cultura da batata-doce é inquestionável, sendo cultivada em grande parte dos pequenos estabelecimentos rurais do país. É uma cultura de fácil manutenção, que apresenta boa tolerância à seca, ampla adaptação e custo de produção relativamente baixo. Entretanto, vários fatores são limitantes para a produção da cultura. No Brasil, é comum encontrar baixas produtividades, ocasionadas principalmente pela utilização de variedades locais ultrapassadas e/ou com elevado grau de degenerescência, em sua maioria, suscetíveis às pragas e doenças. Isso se deve à propagação vegetativa, que perpetua a degenerescência dos clones a cada geração. Além desse aspecto, a utilização de tratos culturais de baixa tecnologia e os raros investimentos também ocasionam uma produtividade aquém da desejável. A qualidade fitossanitária de um campo de produção da batata-doce depende da qualidade fitossanitária do material utilizado na propagação. Uma das estratégias para contornar essa limitação é a limpeza clonal e propagação “in vitro”, pois a cultura de ápices caulinares possibilita a obtenção de plantas livres de vírus e de outros patógenos, viabilizando a produção de grande número de plantas matrizes com todo o potencial genético. A Embrapa detém nove cultivares de batata-doce registradas no Registro Nacional de Cultivares (RNC) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Assim, o projeto objetiva promover a limpeza clonal das cultivares de batata-doce lançadas pela Empresa, que atualmente se encontram com elevado grau de degenerescência, de modo a disponibilizar plantas matrizes com elevada qualidade fitossanitária. A partir da obtenção dessas matrizes, serão estabelecidos ensaios de competição das nove cultivares em várias condições edafoclimáticas, de modo a selecionar duas cultivares que apresentem melhor desempenho agronômico nas localidades escolhidas. Posteriormente será contrastado o desempenho das cultivares da Embrapa frente às variedades locais comumente utilizadas pelos agricultores de tais localidades. Adicionalmente, será proposta a validação de um sistema de produção de mudas de elevada qualidade fitossanitária, a exemplo do que se obtêm com o alho oriundo de limpeza clonal para pequenos produtores, uma experiência de sucesso que pode ser reproduzida para a batata-doce.