Plantio de paricá em clareiras para recomposição de áreas de Reserva Legal  

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: Rosa, Ronaldo

É uma tecnologia voltada para o reflorestamento na Amazônia, consiste em um conjunto de métodos e técnicas silviculturais que permite a produção de madeira de baixa densidade de espécies florestais nativas a baixo custo e em tempo rápido, mantendo os serviços ambientais da floresta natural como a proteção do solo, retenção de água e manutenção da biodiversidade. Uma de suas maiores vantagens é a possibilidade de produzir paricá para laminação dentro de florestas nativas. Assim, os produtores de paricá mantêm uma produção de madeira de paricá dentro de suas áreas de reserva legal. Além disso, a floresta nativa continua produzindo madeira de outras espécies e demais serviços ambientais. O uso do paricá em clareiras, em um primeiro momento, foi experimentada na região amazônica, no entanto a metodologia pode ser utilizada em qualquer floresta com as devidas adequações. O paricá e outras espécies nativas tem grande aceitação no mercado, especialmente para a indústria da laminação. A tecnologia apresenta o reflorestamento como uma alternativa de regeneração de baixo custo e com possibilidade de lucratividade, evidenciando a sustentabilidade e a diversidade, favorecendo o manejo sustentável da floresta e viabilizando vantagens econômicas.

Prática agropecuária: Outras práticas agropecuárias Ano de Lançamento: 2018

País: Brasil Região: Norte Estado: Amazonas, Pará, Rondônia, Amapá, Roraima Bioma: Amazônia

Unidade Responsável: Embrapa Amazônia Oriental

Galeria de imagens