Processo industrial para revestimento de frutas utilizando filmes à base de nanocelulose: prova de conceito e análise de cenários

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Construído em colaboração com a Embrapa Florestas, este trabalho partiu de uma demanda da empresa Fibria para realizar testes com equipamento pertencente à Embrapa Uva e Vinho, buscando estabelecer condições de processamento que podem levar a melhores resultados de concentração de corrente de celulose microfibrilada em sua matéria-prima. A Embrapa Uva e Vinho é a única instituição de pesquisa no Brasil que dispõe do equipamento, o qual pode ser destinado ao estudo de processamento e concentração de materiais fibrosos derivados de celulose. As pesquisas no setor de embalagens têm apontado a nanocelulose como um material promissor no desenvolvimento de embalagens modernas, pois produzem filmes com altas propriedades de barreira e de resistência mecânica, sendo uma alternativa interessante para substituição dos plásticos. Diante das atuais exigências do mercado para utilização de produtos com menor impacto ambiental, a nanocelulose apresenta elevado potencial de aplicação no desenvolvimento de embalagens. A aplicação de revestimentos, além de reduzir a penetração de fungos nos tecidos intactos, promove o preenchimento parcial das aberturas ou ferimentos presentes no tecido da casca, atuando também significativamente na redução da transferência de umidade (transpiração) e nas trocas gasosas (respiração), o que minimiza a velocidade de maturação.

Situação: em execução Data de Início: 04/2020 Data de Finalização: 03/2025

Unidade Lider: Embrapa Uva e Vinho

Líder de projeto: César Luis Girardi

Contato: cesar.girardi@embrapa.br